Nala no Rio Paraguay

As meninas da cidade no campo

Almoço e janta com hora marcada, casa sempre tranquila e fresquinha, soneca o dia todo, a não ser no horário dos passeios que o Helinho realmente fazia elas suarem. Banho a cada 15 dias, veterinário pelo menos uma vez ao mês, sempre que tinham um probleminha de pele. Nos finais de semana, parque do Ibirapuera para correr com outros cães, e durante a noite, um barzinho com os amigos. Essa era a vida da Bubba e da Nala que resolveram largar tudo para se aventurar nesse mundo.

Bubba e Nala na fronteira
Bubba e Nala cruzando o Rio Paraguay

Cruzaram a fronteira e logo viraram a Bubita e a Nalita. Com o calor de 40 graus, a Nala foi se refrescar no rio Paraguay e a Bubba brincar com o índios que ali tomavam banho.

Chegaram na fazenda latindo para os bichos estranhos, como a vaca e o cavalo. Alguns desses bichos faziam um barulho ainda mais estranho, como a galinha e o carneiro, que também rancavam delas, uma onde de latidos. O único animal que elas não estranharam foram os porcos, acredito que pela semelhança de fucinho, rabinho e algumas vezes o cheiro.

Bubba no chiqueiro da fazenda
Bubba conversando com os primos

Todos os dias vamos passear por aqui, o lugar que elas mais gostam é o terramar em frente de casa, elas se esbaldam em toda aquela água. Tomam sol, matam a sede e correm de um lado para o outro como de costume quando estão muito felizes. Ficam soltas o dia todo e exploram todos os cantos da fazenda, a Bubba já tem um favorito, o lugar onde o couro da vaca fica guardado.

Nala no Rio Paraguay
Nala se refrescando no Terramar

Quando chove na fazenda, vamos mexer com o couro, que molhado permite o manuseio. Na primeira chuva que teve, preparei dois “ossinhos” para elas, depois disso, nunca mais comeram os ossinhos do supermercado.

Para repor toda a energia que gastam durante o dia, nada melhor que um ar condicionado e uma boa ração, trazida de Campo Grande, para manter os pelos macios. Mas é claro que a comida do vizinho é sempre melhor. Quando eu digo vizinho, me refiro a Dama, Chumiga, Nani e o único macho, o Companheiro. Como o nome já diz, ele acompanha os peões no campo, ajuda a fazer o rodeio, e de vez em quando uma vaca curiosa chega perto e ele dá um “chega pra lá”.

Elas estão se divertindo muito por aqui, conhecendo uma vida completamente diferente de tudo que estão acostumadas, e estão adorando. E eu também, nada mais gostoso que ver essas duas bichinhas se divertindo o dia todo.

Comentários

comments

Powered by Facebook Comments

Author: kris