Máscaras de Bali

Bali, nossa terceira e última casa

Ainda nas Filipinas, resolvi que gostaria de morar em mais uma cidade antes de voltar para o Brasil. Acredito que depois de 9 meses de viagem é importante parar e refletir sobre todos os aprendizados e experiências que vivemos. Foi assim que viemos para Bali, a capital das artes na Indonésia.

Máscaras de Bali
Máscaras de Bali

Mais de 4 milhões de pessoas vivem em Bali, e apesar do Islamismo predominar na Indonésia, 92% dos Balineses são Hindus.

Alugamos uma casa, mas diferente das outras vezes, agora temos ar condicionado, cozinha e uma varanda. O chuveiro é incrível, sem dúvida o melhor da viagem até agora.

Nossa casa em Bali
Nossa casa em Bali

A Ilha toda é cercada por recife de corais e por se tratar de uma região vulcânica, o fundo do mar é escuro.

Arraia camuflada no fundo do mar em Amed
Arraia camuflada no fundo do mar em Amed

Na nossa primeira semana mergulhamos por 3 dias, e o cenário é tão diferente quanto as vidas que encontramos por aqui. Um exemplo é o cavalo-marinho pigmeu que por suas habilidades de se camuflar, foi descoberto apenas em 2001. Ele chega no máximo a 17 milímetros e passa toda a sua vida em um mesmo coral, mudando de um galho para o outro.

Cavalo Marinho Pigmeu
Cavalo-Marinho Pigmeu (procure pelo olho)

Bali é o paraíso das arraias, até agora encontramos mais ou menos 50 de diferentes espécies.  Mas sem dúvida nenhuma delas nos emocionou tanto quanto as mantas. Encontramos 13 arraias mantas acasalando em um ponto de mergulho chamado Manta Point.

Arraias Manta acasalando
Arraias Manta acasalando

Elas ficaram se exibindo para nós por mais ou menos 15 minutos. Eu gritava igual uma louca enquanto o Igor ficava paralizado só observando aquela dança. A maior do grupo deveria ter algo em torno de 4 metros e mesmo se alimentando apenas de plancton e camarão, elas podem pesar até 1.350 kg.

Comentários

comments

Powered by Facebook Comments

Author: kris