f y r
_

Ano Sabático: para onde ir?

O essencial você já tem: a vontade de abandonar tudo, mandar o seu chefe ir praquele lugar catar coquinho na ladeira, tirar um ano sabático, cair na estrada sem compromisso e levar uma vida de aventuras. Ótimo, e agora?

Primeiro de tudo é definir para onde você vai, mas como fazer isso? Acredito que todos tem aquela atração inconsciente e inexplicável por algum lugar ou cultura. No meu caso era o Sri Lanka e Vietnam, no da Kris a Índia. Com uma região definida, pegamos um Atlas Geografico Escolar que eu dei de presente pra Kris em algum momento, e começamos a conectar os pontos, criando um esboço de roteiro. Seguimos apenas dois critérios simples:

  1. O caminho tem um mínimo de lógica? Sair da Índia para as Filipinas e depois voltar para o Sri Lanka só faria sentido com promoções muito atrativas de passagens aéreas.
  2. Temos qualquer interesse de conhecer determinado país? Já tínhamos ouvido falar de algo que poderia nos interessar?

Em diversos momentos recorremos a bíblia dos mochileiros, o Lonely Planet, para ver o que um país tinha de atrações. Também usamos muito o Google Images para dar uma espiada nos cenários que poderíamos encontrar.  Fica muito mais fácil incluir ou retirar um país da lista quando você tem um pouco mais de informação.

Depois desse brainstorm, veio a parte chata. Estudamos se haviam voos direto de um país para o outro e a média de preços. Usamos muito o SkyScanner que também disponibiliza um APP para celular e tablet. Assim conseguimos já validar o nosso roteiro inicial fazendo algumas adaptações necessárias. Por exemplo, decidimos que Marrocos e Egito ficariam de fora dessa vez, uma vez que eles somariam ao orçamento quase R$10.000,00 só de passagens.

Apesar de ser chato, essa etapa é importante caso você queira fazer um planejamento um pouco mais controlado dos gastos. No nosso caso exemplo, descobrimos que 30% da nossa verba seria empregada em locomoção entre países, e como é sabido que custo com passagens costumam ser um dos mais pesados – e inevitáveis – em uma viagem, tínhamos um ponto de partida para estimar as demais coisas.

Apenas tenha em mente que esse seu roteiro é somente uma referência, pois ele vai sofrer diversas mudanças. A palavra de ordem em uma viagem dessas é flexibilidade, e para aproveitar ao máximo sua experiência, você terá que se adaptar, pois pessoas indicarão lugares que você não conhecia, ou promoções de passagens aparecerão. Você também vai descobrir eventos e festivais que só acontecem em determinadas épocas do ano, e tudo isso vai fazer você mudar todo o seu planejamento do dia pra noite.

Dêem uma olhada no mapa da nossa viagem. A linha vermelha é o roteiro que fizemos em brainstorm, a amarela é o roteiro que iamos fazer assim que saímos do Brasil e a azul a que acabou acontecendo.

Mapa com os roteiros do Travel For Change
Mapa com os roteiros do Travel For Change

Comentários

comments

Powered by Facebook Comments

Share